segunda-feira, 1 de julho de 2013

Poesia II


Quando chega a noite
Ponho-me a pensar
No meu pesar.

Sonhe sem dormir
E é nisso que vai dar.

Dizem que você é sabía
E você já sabia
Que ele não era seu
E que nunca seria.

E então, você vem
E cria uma poesia
Para aliviar uma dor
Que há muito pressentia.

Segue a noite
Seus pensamentos
Tortos, torturam
Seus sentimentos
Loucos, procedem
Seus sonhos
Você esquece.

Segue então o tempo
E já é dia, quando você
Resolve esconder-se em descontentamento
E chorar lágrimas que não são suas.